19.4.15

PALÁCIO GUANABARA: VISITAÇÃO


Palácio Guanabara de Portas Abertas é o projeto de visitas guiadas, realizado com apoio técnico e parceria do Senac Rio. Os visitantes são recepcionados e conduzidos por alunos dos cursos de Turismo e Hospitalidade, que vivenciam na prática o que aprendem em sala de aula. As visitas se dão aos sábados de manhã (9, 10 e 11 horas), de 15 em 15 dias.



O Palácio Guanabara faz parte do patrimônio histórico e cultural do Rio de Janeiro e do Brasil. O imponente prédio foi sede de diferentes governos e hoje se encontra totalmente restaurado.

Construído em 1853, como resistência familiar, foi vendido para a família imperial em 1864. A residência foi reformada para abrigar a Princesa Isabel e o Conde D’Eu, passando a ser conhecida como Paço Isabel. Durante a reforma, o casal plantou inúmeras espécies vegetais exóticas, além de uma fileira dupla de palmeiras imperiais na Rua Paissandu, que marcava o caminho do Paço até a praia do Flamengo.

Em 1890, o Paço Isabel foi incorporado ao Patrimônio da União e rebatizado como Palácio Guanabara. Depois foi repartição militar, morada de Presidentes da República, abrigou o gabinete do Prefeito do Rio e, em 1960, passou a ser sede do Governo do Estado. (Informações transcritas do folheto do projeto)

Escadaria de acesso ao Salão Nobre

 Salão Nobre  em estilo rococó com mobília Luís XV e XVI. "Desde os tempos da Família Imperial, era um dos centros de reunião do Rio de Janeiro. Encontros políticos misturavam-se à música e à poesia. Hoje, também se destina a encontros de autoridades e importantes eventos do Estado." (Informações entre aspas transcritas do folheto do projeto)

Jardim de Inverno com fonte (desligada para economizar água até que se mude o sistema para reaproveitá-la)

Sala "Pé-de-Moleque". Esse calçamento, utilizado nos casarões do período colonial nas áreas destinadas ao uso dos escravos, foi descoberto durante obras de restauração em 2011 e coberto com vidro resistente para melhor preservação.

Ciranda, óleo sobre tela de Djanira exposto (junto com outros quadros brasileiros) na sala Pé-de-Moleque.

Um momento simpático da visita guiada é o pequeno recital do grupo de violoncelistas e contrabaixistas da Ação Social pela Música patrocinada pela Embratel.  

Jardim do palácio projetado pelo paisagista francês Paul Villon no início do séc. XX em estilo geométrico francês. 

Detalhe do Chafariz de Netuno: criança montada em delfim

Capela Santa Teresinha, em estilo neocolonial, construída em 1946 a pedido de Carmela Dutra, a esposa do então Presidente

2 comentários:

Ronaldo R. A. Câmara disse...

Ivo: Muito boa a reportagem e fotos. Quais são os dias da semana e horários para a visitação ao Palácio e seus jardins ?
Um abraço, Ronaldo R. A. Câmara

Ivo Korytowski disse...

Ronaldo, velho amigo, as visitas se dão aos sábados de manhã (9, 10 e 11 horas), de 15 em 15 dias. Já inseri no texto!